segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A importância do sono – Evite a fadiga, voe descansado!

Certavez, um cessna 182, quatro a bordo. Tanques cheios, com 10 kg a menos de carga, no bagageiro, decolou do interior paulista as 05:00hrs.

Após 20 minutos de voo, a aeronave entrou em um aumento súbito do ângulo de ataque, estolando e caindo logo em seguida.

Todos os passageiros que estavam a bordo, faleceram, e o avião pegou fogo.
Outro caso. Um pipersaratoga TC, decolou do estado do Acre por volta das 07:00hrs. Tanques cheios, total de 5 pessoas a bordo. O saratoga decola e pega a proa de uma represa. Voo rasante sobre o mesmo, o piloto perde o controle da aeronave, e a mesma “entra voando na represa”. Dois faleceram no ato do impacto, e os outros três não acham nem sequer vestígios até o momento.

Um king air 350, decola do Paraguay para o Brasil. Sete a bordo da aeronave. A aproximadamente 190 milhas para chegarem no destino aqui no brasil, a aeronave estola, e o king air 350, que estava a 7500 pés, “dá nariz pra terra”, matando todos os seus ocupantes.

No primeiro caso, o piloto habilitado a voar tal avião, havia, um dia antes, tomado “umas a mais” ficando até 02:00hrs no churrasco com os amigos, e se deixou levar pelo P.A de sua aeronave dizendo:

--- O P.A resolve tudo para mim!
O piloto chegou no aeroporto, três horas depois, e a aeronave já estava no pátio. Checou o combustível, tropicando no trem de pouso e esbarrando no suporte da asa.
O dono do avião e patrão do individuo alertou-o:

--- Você esta consciente?
Como resposta, recebeu um sorriso irônico. Montaram no avião e foram embora.
Transcorridos 20 minutos de voo. O piloto que sorriu ironicamente dizendo por si mesmo estar consciente, cochilou, e a aeronave sofreu uma rajada de vento ascendente provocando logo em seguida, um estol. A aeronave entrou em trajetória vertical descendente e o dono do avião que não sabia pilotar, morreu, enfartando com o susto daquela situação, e o piloto, devido ao sono extremo, sofreu desorientação espacial pela atitude em que se encontrava o avião. Os demais ocupantes, não podiam fazer nada, vindo a falecer junto no impacto. A aeronave colidiu com o solo e pegou fogo.

Quanto ao pipersaratoga, o caso foi totalmente diferente. O piloto havia chegado cedo para realizar o preparo do voo.

Chegou cedo! Em contra partida, havia acabado de chegar da “noitada”. Na base de energéticos e pílulas que “enganam” o sono, o aviador fez uso dos mesmos, e foi voar.
Montaram e pegaram a proa do destino.

A dado momento do voo, o piloto se auto julgou-se, dar um rasante para acordar todos a bordo...

Deu nariz a baixo, na proa da represa. Neste momento, os efeitos das pílulas e dos energéticos passou, e ele, cochilou. A aeronave entrou voando na represa, matando o piloto, o copiloto, e os outros três, até o presente momento, nem se tem vestígios.
O king air é preparado pela sua tripulação. Tudo pronto, tudo preparado. Montaram, acionaram, e pegaram a proa do destino aqui no brasil.

O comandante estava a 8 dias voando fora do comum. Voava em média 14 horas/dia. Tanto operação VFR quanto IFR. Estava exausto. A fadiga bateu na porta dele e o comandante se entregou.

Acionou o piloto automático ( P.A ) e cruzou os braços, deixando o avião voar “sozinho”. Com a falta de um sono bom, e vencido pela fadiga, o comandante do king air 350 esbarrou a mão direita no console de manetes, cortando a mistura e reduzindo o motor, nisso os motores pararam.

Com isso, o famoso “rei dos ares”, veio de encontro a terra. No momento em que o piloto deu por si, que estava diante daquela situação, não pode fazer nada, pois o avião atingiu a VNE ( velocidade nunca exceder ) assistindo assim, a sua própria morte, ouvindo também gritos de socorro, de todos os seus passageiros.

Muita gente se engana. Mas o voo é para ser realizado por pilotos descansados. Nunca voe cansado. As consequências seguiram nas linhas acima.Como perceberam, um simples detalhe, vira uma catástrofe.

Se for na balada, curtir, e tem que voar no dia seguinte. Lembre-se do preço que essas pessoas pagaram, se matando, e levando consigo, outras pessoas que não tinha nada haver com o seu sono, e inclusive, um belo avião.

Dentre os mais diversos ramos que a aviação disponibiliza, uma delas, tem uma grande margem de acidentes fatais. A aviação agrícola. E um dos principais fatores dos acidentes, são relacionados a falta de um sono bom, de um descanso merecido ao corpo.
 
--- Por mais que se voa o dia todo, a noite, foi feita para repousar. É preciso cautela, e voar descansado. Com isso, todos os envolvidos tem a ganhar, e a operação corre com rendimento benéfico...

A maquina, como o próprio nome diz, é uma maquina. Porem, ela tem “sentimento”, e tendo sentimento, a mesma retribui em igual intensidade para com o seu tripulante.
Portanto. Respeite, para ser respeitado. Voe a aeronave dentro do limite dela, e dentro do seu limite. Você precisa da aeronave e a mesma precisa de você.

Para provar que a aeronave o ama, ela não sai na “balada dos ares” e fica vagando igual zumbi perdida por ai. Ela fica lá. Estaqueada ou hangarada lhe esperando para o próximo destino.

Voe seguro, voe com prudência e responsabilidade, e faturando dignamente –
Segurança de vôo a todos nós.

Tiago Balduino Ricci. 

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More